Para navegar pelas várias páginas à sua espera, clique sobre os títulos!

sábado, 6 de fevereiro de 2021

XIV. INFORDIÁLOGOS na Rocha Treme-Treme - A Terceira Geração

 
— Então estás hoje com melhor disposição para a nossa conversa? Sei que o Aljezurense ganhou e que o teu sobrinho marcou o golo da vitória.

— Se o professor tivesse visto! — Atalhou Bit, com satisfação. — Foi um golaço, e no último minuto!

— O teu sobrinho e o resto da equipa constituíam um grupo integrado. — O professor introduzia assim a ideia do Circuito Integrado. — Todos ligados entre si, pelo menos ideologicamente, todos contribuindo para um objectivo comum: marcar.

— É o que lhe dizia, — acrescentou Bit —, até o guarda-redes joga e pode marcar.

— Pois é a principal característica desta Terceira Geração de computadores: a integração, ou melhor, o uso do Circuito Integrado. O CHIP.

Bit fez aquela cara de quem não percebeu bem, esperando explicações adicionais.



— É um dispositivo parecido com uma pastilha, (também há quem o ache parecido com uma barata), que concentra um certo número de transístores interligados com silício ou germânio. Receberam a designação de CHIP. São preparados para trabalharem em conjunto. Em 1965 reunia cerca de 30. Era a tecnologia da Integração em Pequena Escala (SSI), evoluindo para cerca de 1.000, na tecnologia de Média Escala.

— E assim, rapidamente se passou da válvula para o transístor, — Concluiu Bit. — Mais uma geração! Mais dez ou onze anos? Até 1974, não é?

— Sim, a integração continuou a evoluir. Além de permitir uma significativa redução de tamanho e do consumo, possibilitava um significativo aumento de velocidade de processamento. Já se registavam mais de um milhão de operações por segundo.

— Mais de um milhão? Por exemplo, uma conta de somar com um milhão de parcelas?!

Bit ficou estarrecido. Ele que se ia perdendo no concurso de somar 20 parcelas, que tempo precisaria para uma adição de 100 parcelas? E mesmo que fosse com máquina… não conseguia imaginar. Exclamou: “Um segundo? É tão pouco tempo!”

— Já aqui te falei do IMB 360. Pois este também foi evoluindo e foi um dos primeiros computadores a usar os chips. Esse e outros duma marca de que hoje quase nem se fala: a Burroughs Corporation com os seus modelos B3500 e B3600. 

Sistema IBM/360

— ‘Tou a ver que a IBM continuou a marcar uma posição importante também nesta geração. — Comentou Bit.

— Sim. Com hegemonia. É nesta geração que se desenvolve a conquista do espaço. Em 1969 o Homem chega à Lua. O Projecto Apollo usava um computador AGC (Apollo Guidance Computer) para controlo de todos os sistemas da nave, com mais de 4.100 circuitos integrados.

— Ouvi falar nessa viagem. Mas o Homem foi mesmo à Lua? — Bit, sempre com dúvidas.

— O quê? Mas tens dúvida? É claro que foi. E qualquer dia há-de chegar a Marte. Pois os computadores não param de evoluir. Já em 1965 Gordon Moore (que veio a fundar a INTEL) previa que o número de transístores em cada chip duplicaria cada 18 meses.

— Ups! Bem professor, hoje pago eu uma imperial para celebrar a vitória do meu sobrinho.

— Então está bem. Vamos lá que a maré vai subir não tarda e eu tenho de passar o rio para a Amoreira.

Sem comentários:

Publicar um comentário