Para navegar pelas várias páginas à sua espera, clique sobre os títulos!

sábado, 6 de fevereiro de 2021

IX. (INFORDIÁLOGOS na Rocha Treme) - BOOLE e a Álgebra Binária

Petiscaram mais um pratinho de burgaus e, desta vez, Byte optou por imperiais. Sentia-se bem e a imperial amarga ir-lhe-ia dar mais prazer do que a pirolitosa cheia de açúcar. Viu-se um brilhozinho nos olhos de Bit quanto propôs as cervejas.

Ficaram calados por uns momentos enquanto Byte estendia o olhar pelo rio acima, percebendo o efeito da maré a subir, provocando pequenas ondas que iam deixando marcas alternadas na margem do rio, no lado do areal. Mais areia molhada e menos areia molhada.

A sua mente, habituada às questões informáticas e ao código binário, de imediato atribuiu às ondas maiores o dígito 1 e às ondas menores o dígito 0. Curioso! Não fosse ele tão racional e poderia achar que o mar estava a comunicar com ele, através de zeros e uns.


Entretanto Bit já tinha acabado a primeira imperial e pedido outra que bebericava devagar, com olhos de sono.

— Bit! Olha Bit, sabes que os nossos nomes, Bit e Byte, de algum modo têm uma relação com as ondas do mar?

Bit reagiu e regressou do seu afastamento.

— Mas eu sei que o nosso padrinho foi um matemático inglês de nome Biule; com mau gosto para nomes, diga-se.

— Qual Biule nem meio Biule! Chamava-se Boole, George Boole, e foi de facto um famoso matemático inglês, que se tornou padre. São-lhe atribuídos estudos sobre a Lógica e um tipo de álgebra que, em sua homenagem, é conhecida por Álgebra Booleana.

— Mas onde é que ele se inspirou para nos chamar Byte e Bit?

Byte pigarreou, e avançou. — Estes nossos nomes só mais tarde é que “apareceram”. A álgebra booleana surgiu por volta de 1860; era a Lógica Binária, que constitui, ainda hoje, a base do cálculo computacional, um poder inigualável. Inclui operações como “Negação”, “E”, “Ou”, “Ou Exclusivo”.

— Não percebo bem, mas… — Bit exclamou. — O senhor fala dessa álgebra como sendo uma coisa tão surpreendentemente fácil, e os computadores, tanto quanto sei, são sistemas altamente complicados!

— E tens razão. — Byte pensou numa forma simples de lhe explicar o funcionamento do processador, mas achou que Bit ainda não tinha as bases suficientes para um melhor entendimento, pelo que abreviou: — Mas todos os processamentos, mesmo os mais complicados, são reduzidos internamente a operações binárias, dentro daquela Lógica. Simples, não achas?

— Hei-de perceber melhor quando chegarmos às linguagens de programação. Sim, que o que eu quero é ser Programador! Fazer programas para resolver os meus problemas, tipo, como fazer o meu subsídio chegar até ao fim do mês, e assim.

— Se me continuares a ouvir com interesse e atenção, certamente lá chegarás. Nessa altura irás perceber que uma onda maior pode valer 1, e que uma onda pequena pode valer 0. Nesse dia vamos a Lagos comprar-te um computador portátil para te ensinar e praticares.

— Ena! E com Internet e Wi-Fi? — Bit entusiasmado.

— Sim. Isso tudo. Mas vai levar algum tempo… Vamos até à Vila, que o sol já se está a esconder, podes ir pôr a motora a trabalhar. — E dirigindo-se ao empregado de mesa: — Jovem, esta conta é comigo.

Sem comentários:

Publicar um comentário