Para navegar pelas várias páginas à sua espera, clique sobre os títulos!

sábado, 6 de fevereiro de 2021

XIII. INFORDIÁLOGOS na Rocha Treme-Treme - A Segunda Geração

O professor Byte tinha prometido surpreender Bit ainda mais. Preparara uma pequena tabela onde relacionava as novas gerações com as respectivas tecnologias. Sacou-a do seu bornal e pigarreou para chamar a atenção de Bit, como se lhe dissesse “vamos lá a começar”, e por aí foi:

— Designa-se por Segunda




Geração a que se estendeu pêlos anos de 1955 a 1965, recorrendo à intensificação do uso dos transístores e desenvolvimento das chamadas Linguagens de Programação de Alto Nível.

— Lá se vão as válvulas! — Proferiu Bit. — Os transístores permitiam maior velocidade de processamento, não? Estou a perceber que cada passo é sempre no sentido do melhor desempenho.

— Estou também surpreendido contigo! — O professor Byte continuou a sua lição. — Começaram por ser cerca de cem vezes mais rápidos que as válvulas.

— E repara nesta imagem. — Byte puxou de mais um papel do seu bornal. — É o símbolo do transístor desenhado numa das calçadas da Universidade de Aveiro.

— As máquinas mais relevantes nesta segunda geração foram a IBM 1401 e, numa fase de transição para a terceira geração, o muito conhecido Sistema IBM 360.

— Estes computadores, — continuou Byte, com entusiasmo, — beneficiaram da nova tecnologia que lhes trouxe uma redução de tamanho e melhorou os consumos.

Bit distraiu-se um pouco, olhando o mar, como gostava de fazer sempre que se sentava naquele espaço de leccionação ao ar livre, e logo Byte lhe remocou, “Se hoje não te apetece aprender, fazemos uma pausa e continuamos amanhã. Deves estar a pensar no jogo de logo à noite. Pensa no Vídeo Árbitro e repara como a tecnologia evoluiu até ele”.

— Desculpe. — Bit com humildade. — Não é desses, é o jogo de futsal entre os cinco do Aljezurense e os cinco do Rogilense, um autêntico derby. Está lá o meu sobrinho e vai começar daqui a meia hora.

— ‘Tá bem. Vamos acabar. Presta só atenção aos novos periféricos que estas máquinas usavam.

— Periféricos?! — Bit surpreendido. — O que são esses?


— São outras máquinas que estão na periferia, quer dizer, à roda do computador e que servem para entrada e saída de dados e informação. — Mostrou novo papel. — Leitores de fita perfurada, de banda magnética e discos rígidos. Olha para eles e… pronto, terminamos.

 

 

Sem comentários:

Publicar um comentário