Para navegar pelas várias páginas à sua espera, clique sobre os títulos!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

INFORDIÁLOGOS NA ROCHA TREME-TREME


III        A Antikythera

Nas suas divagações sobre a evolução da Humanidade e dos auxiliares de cálculo, Bit e Byte sentiam-se transportados desde a Rocha Treme-Treme para uma qualquer escarpa da ilha grega de Anticítera, perto de Creta, nos idos do ano 87 a. C..

Falavam da Antikythera, descoberta no fundo do mar nas costas dessa ilha no início do século XX

‑ Esta Antikythera, ou mais à nossa moda, Anticítera, foi considerada um verdadeiro computador analógico. – Byte iniciava assim mais uma sessão doutoral exclusivamente para Bit. – Um artefacto…

‑ Já ouvi falar dessa maquineta há muito tempo. – Interrompeu Bit. – Não sou um completo ignorante.

‑ Mas sabes como funcionava? Não sabes, não é?

‑ Isso não sei bem, mas segundo o professor Price, que vinha estudando a máquina desde os anos 50, analisou-a com raios gama, confirmou que seria mesmo um calculador astronómico! – Respondeu Bit, com uma pontinha de orgulho.

‑ Ah! Sabias disso? Mas esse estudo só foi conseguido nos anos 70 do século XX!

‑ E sei mais… ‑ Avançou Bit. – Era constituído por pelo menos umas 30 rodas dentadas.

‑ E sabes que essas rodas, quando accionadas, apresentavam resultados em três mostradores laterais, o que permitia aos utilizadores terem informações sobre os ciclos astronómicos – Byte adorava mostrar os seus conhecimentos ao “ignorante” Bit. – Podiam até prever os eclipses!

‑ Sim. O professor Price deve ter sido o maior estudioso da Anticítera. Ele apresentou uma teoria de funcionamento. 

‑ É verdade. Esses esboços, como esta imagem, levaram à construção de duas réplicas que, desde 2007, são exibidas no Museu Arqueológico Nacional de Atenas e no Museu Americano do Computador em Bozeman (Montana), nos Estados Unidos.
‑ Aí está uma coisa que eu desconhecia. – Assumiu humildemente Bit. – Gostaria de ver. Sei que apesar ter sido criada numa época tão remota já usava uma engrenagem diferencial, que toda a gente pensava ter sido criada apenas no século XVI.

‑ E a miniaturização?! É admirável como a conseguiram fazer, naquele tempo! A maior engrenagem tinha 14 cm de diâmetro e mais de 200 dentes!

‑ Surpreendente! – Bit estava maravilhado!

‑ Então repara nesta nota que vem na Wikipédia: ‑ E Byte avançou com a citação. ‑ “Os dados obtidos pela máquina são muito semelhantes aos descritos nos manuscritos de Galileu Galilei e as semelhanças vão além da coincidência, levando a crer que Galileu se valeu de tal máquina nas suas pesquisas”.

‑ Terá sido uma reinvenção?!

Ficaram em silêncio algum tempo, contemplando o mar que batia fortemente na ponta da rocha, justificando o nome que lhe fora atribuído.

‑ Algum dia há-de cair. – Prensava Bit ‑ E não haverá Anticítera que ajude a prever quando isso acontecerá. Entretanto vai tremendo… tremendo…

 

Sem comentários:

Publicar um comentário